Vento


O vento é um fenómeno meteorológico formado pelo movimento do ar na atmosfera. O vento é gerado através de fenómenos naturais como, por exemplo, os movimentos de rotação e translação do Planeta Terra.
Existem vários factores que podem influenciar na formação do vento, fazendo com que este possa ser mais forte (ventania) ou suave (brisa). Pressão atmosférica, radiação solar, humidade do ar e evaporação influenciam directamente nas características do vento.
Algumas regiões da Terra são menos aquecidas do que outras devido à ausência do Sol. Nas regiões em que possuem florestas, por exemplo, a sombra das árvores impede que o solo se aqueça muito. Porém onde não há florestas, os raios solares incidem directamente sobre o solo, aquecendo-o de forma mais intensa. Ao subir, o ar quente afasta-se do solo e torna a ficar frio. Com isso, fica mais pesado e desce novamente. Esta é a movimentação do ar é o que denominamos de vento.
O vento tem várias vantagens tais como:

É inesgotável, não emite gases poluentes nem gera resíduos, diminui a emissão de gases de efeito de estufa, é uma das fontes mais baratas de energia podendo competir em termos de rentabilidade com as fontes de energia tradicionais.
Mas este também tem as suas desvantagens tais como:
A intermitência: nem sempre o vento sopra quando a electricidade é necessária, tornando difícil a integração da sua produção no programa de exploração.
Provoca um impacto visual considerável: principalmente para os moradores que se encontram lá perto, a instalação dos parques eólicos gera uma grande modificação da paisagem.
Devemos utilizar racionalmente a energia tanto nos sectores domésticos como os dos serviços e indústrias.

Realizado por :
Rita Sousa Nº1
Andreia Mota Nº3
Márcia Neto Nº11
Turma: 10ºC

__________________________________________

A energia eólica é a energia cinética proveniente do deslocamento de massas de ar, gerado pelas diferenças de temperatura na superfície do planeta. Desde a antiguidade que a energia eólica é utilizada, surgiu há milhares de anos aquando dos descobrimentos, tendo sido recorrendo a este recurso que Portugal durante o século XV a XIII com as suas caravelas e naus partiu para a descoberta do mundo.

Anos mais tarde esta energia passou a ser utilizada em moinhos de vento, com o objectivo de moer o milho, transformando-o assim em farinha para fazerem pão.

Os moinhos são a forma mais tradicional de captação de energia proveniente dos ventos. Na década de 70 com a crise do petróleo, a energia proveniente dos ventos passou a ter um aproveitamento energético, coisa que até ao momento não se fazia.

Os aerogeradores revelavam assim uma maior eficiência energética, sendo que desde a década de 80 tem vindo a ser cada vez mais comum a instalação de parques eólicos.

A energia eólica possui algumas vantagens, mas em contra partida também possui desvantagens.

As vantagens desta energia são repartidas nomeadamente por quatro grupos, as vantagens para a sociedade, sendo que esta energia não emite gases poluentes nem provocar resíduos, sendo também inesgotável, diminuindo assim a emissão de gases de efeito de estufa para a atmosfera.

Esta energia também possui vantagens para as comunidades onde os parques eólicos são colocados, estes parques criam postos de emprego sendo que promovem assim o investimento em zonas mais desfavorecidas bem como trazem benefícios aos proprietários e as zonas camarárias onde os parques eólicos são colocados. Existem ainda vantagens para o estado, pois ao criarem este parques seduzem as suas emissões de CO2 cumprindo assim o protocolo de quito o que lhe dá uma menor penalização em caso de não cumprir o protocolo, sendo que como também é uma fonte de energia mais barata pode atingir uma maior rentabilidade.

Os produtores deste tipo de energia também possuem vantagens, sendo que os aerogeradores não necessitam de abastecimento de combustível, exigindo também uma escassa manutenção, a sua revisão apenas se efectua de seis em seis meses. Estes aerogeradores possuem uma boa rentabilidade do investimento, pois um aerogerador recupera os gastos com o seu fabrico, instalação e manutenção em menos de seis meses.

Em contrapartida esta energia eólica também possui algumas desvantagens para a sociedade, o vento nem sempre sopra quando é necessária a produção de electricidade o que torna difícil a integração de produção no programa de exploração, esta energia pode ser ultrapassada por pilhas de combustível (H2) ou ate mesmo pela técnica de bombagem hidroeléctrica.

Este tipo de energia provoca um grande impacto visual na paisagem, essencialmente para os moradores em redor dos parques eólicos, provoca ainda impacto nas aves de determinado local, principalmente por estas chocarem nas pás dos aerogeradores e também por estes aerogeradores provocarem a modificação dos hábitos de migração destas aves.

A energia eólica provoca ainda um impacto sonoro, o vento quando bate nas pás produz um ruído constante, sendo que as habitações devem estar a no mínimo 200metros de distância dos parques eólicos.

Actualmente é utilizada energia eólica para fazer mover as pás do aerogerador, os aerogeradores são colocados em locais com bastante vento, sendo normalmente agrupados em parques eólicos para que a sua exploração seja rentável, podendo também ser usados isoladamente para alimentar uma localidade remota e longe das redes e transmissão.

Os sistemas eólicos podem ser divididos em 3 tipos de sistemas: sistema isolado, sistema híbrido e sistema de injecção na rede. Os sistemas eólicos isolados são todos aqueles sistemas que armazenam energia do aerogerador em baterias estacionária, que permitem consumir energia nas temporadas em que não existe vento, evitando assim que a energia eléctrica falhe quando o aerogerador pára. Os sistemas eólicos híbridos são todos aqueles sistemas que produzem energia eléctrica em simultâneo com outras fontes electroprodutora.

Neste sistemas existe o mesmo funcionamento que os sistemas isolados, sendo que a única alteração é o carregamento das baterias estacionárias ser feito por mais que um gerador. Os sistemas eólicos de injecção na rede são todos aqueles sistemas que inserem a energia produzida por eles própria na rede eléctrica pública. Normalmente a maioria dos aerogeradores são de alta tensão.

Para finalizar, o primeiro parque eólico português foi construído na ilha de porto santo na ilha da madeira, desde então este tipo de energias tem recebido um grande impulso, sendo que no ano de 2006 Portugal foi considerado um mono produtor mundial de energia eólica em termos absolutos, tendo em conta a sua área e população.

__________________________________________

O vento como fonte de energia

O vento é uma fonte inesgotável de energia económica e inofensiva para o ambiente. O vento pode ser considerado como o ar em movimento.

Actualmente, a energia do vento pode ser utilizada para produzir electricidade através de aerogeradores.

A energia eólica é instalada em vários parques, principalmente, em regiões montanhosas com ventos mais ou menos constantes.

Aproveitamento energético

· Conversão em energia eléctrica

O vento pode ser convertido em energia eléctrica, através do uso de aerogeradores.

Um aerogerador é um gerador eléctrico integrado ao eixo de um cata-vento cuja missão é converter energia eólica em energia eléctrica.


Exemplo de um aerogerador

· Conversão em energia mecânica

A energia eólica tem sido aproveitada desde a antiguidade para mover os barcos impulsionados por velas ou para fazer funcionar a engrenagem de moinhos, ao mover as suas pás.


Exemplo de um moinho de vento

Vantagens

} A energia eólica é renovável, limpa, amplamente distribuída globalmente, e, se utilizada para substituir fontes de combustíveis fósseis, auxilia na redução do efeito estufa;

} Possui um baixo nível de manutenção dos aerogeradores.

Desvantagens

} Nas proximidades dos parques eólicos é detectada poluição sonora, devido ao ruído produzido. Há também quem considere que sua silhueta afecta a paisagem.

} Os lugares mais apropriados para sua instalação coincidem com as rotas das aves migratórias, o que faz com que centenas de pássaros possam morrer ao chocar contra as suas hélices;

} Os aerogeradores não podem ser instalados de forma rentável em qualquer área, já que requerem um tipo de vento constante mas não excessivamente forte.

Utilização racional de energia

Por Utilização Racional de Energia (URE) entendemos o conjunto de acções e medidas, que têm como objectivo a melhor utilização da energia.

A URE é cada vez mais um factor a considerar na economia energética e redução de custos, tanto no sector doméstico como no sector de serviços e industrial.

Realizado por:

· Raquel Ribeiro nº 21

· Sara Silva nº 23

10ºA

_______________________________________Vento - 10º E

A energia eólica

Há dois tipos de energia:

· Energias renováveis – são as energias inesgotáveis, e que a Natureza é capaz de repor em tempo útil;

· Energias não renováveis – são as energias obtidas apartir de fontes que se podem esgotar.

Energia renovável : O vento

O vento é uma fonte de energia renovável, produzida pelo ar em movimento, que se deve ao facto de existirem desigualdades de aquecimento da superfície terrestre por parte do sol. Esta fonte de energia está associada á energia eólica. E é através deste movimento de ar que as turbinas eólicas giram e produzem energia.

Como se faz o aproveitamento energético do vento ?

O aproveitamento do vento é feito nas centrais eólicas (fig.1)








O movimento do ar faz girar as hélices que activam um eixo que está ligado à caixa de mudança. Através de uma série de engrenagens a velocidade do eixo de rotação aumenta. O eixo de rotação está ligado ao gerador de eletricidade que com a rotação em alta velocidade gera energia.

O aproveitamento das centrais eólicas depende dos seguintes factores :

· Da quantidade de vento que passa pela hélice

· Do diâmetro da hélice

· Do tamanho do gerador

· Do rendimento de todo o sistema

Vantagens e desvantagens do uso desta energia

-Vantagens :

· É inesgotável;

· Não emite poluentes nem gera resíduos;

· Diminui a emissão de gases com efeito de estufa;

· Os custos na construção e manutenção dos porquês eólicos são baixos;

· (…)

- Desvantagens :

· Provocam na sua vizinhança ruídos provenientes dos motores;

· Degradam grande parte da paisagem;

· A intermitência, pois nem sempre o vento sopra quando a electricidade é necessária;

· Pode ser ultrapassada com a técnica de bombagem hidroeléctica;

· (…)

Utilização racional da energia

· Desligar as luzes e aparelhos quando não estão a ser utilizados, usar lâmpadas de baixo consumo;

· Reutilizar os sacos de plástico para ir e guardar as compras;

· Usar o micro-ondas em vez do fogão para aquecer a comida;

· Utilizar baterias recarregáveis em vez das descartáveis

Bibliografia

http://2.bp.blogspot.com/_XH_bdnfjeyA/SWKnGJiBaLI/AAAAAAAAAT0/T0vvTEpDbWU/s320/energia_eolica_popup_810x721.jpg (Março 2010)

http://futuroverde.files.wordpress.com/2009/02/energia_eolica.jpg (Março 2010)

Trabalho apresentado na disciplina de Física e Química A, curso Científico-Humanistico de Ciências e Tecnologia, realizado pelas alunas Ana Cristina Martins nº1 , Ana Cristina Fernandes nº2 e Luís Neto nº do 10º E


______________________________________Vento 10º D


Com este trabalho pretendemos dar a conhecer o que são energias renováveis e, mais especificamente, a energia eólica.

Energias renováveis são energias vindas de fontes naturais, são consideradas inesgotáveis e têm um impacto ambiental reduzidos, sendo estas algumas das razões pelas quais são cada vez mais utilizadas. As mais conhecidas são a energia solar, eólica e hidráulica.

Energia eólica é uma manifestação de energia cuja fonte é o vento e que é obtida através de aerogeradores. Esta é uma energia muito utilizada em Portugal.

As principais desvantagens da energia eólica é o facto de produzir poluição sonora, deteriorar a paisagem e os aerogeradores terem de ser colocados em locais isolados com ventos constantes de 6m/s.

As principais vantagens é ser económica e contribuir para respeitar o protocolo de Quioto.

Fontes:

Física na Nossa Vida – Porto Editora – M. Margarida R. D. Rodrigues; Fernando Mourão Lopes Dias

http://www.geografia.seed.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=287

http://energicoalternativas.blogspot.com/2009/06/energia-eolica.html

http://virgiliofreire.blogspot.com/2009/07/energia-eolica-e-suficiente-para-suprir.html

Trabalho realizado por: Emanuel Fernandes Nº14; Raquel Costa Nº 21; Rui Almeida Nº25; Luís Alves Nº 27 - 10º D